Buscar
  • Juliana -Gatil Don Ramiro

Doença: FIV e Felv, o que é?

"Erradamente chamadas de aids felina, essas doenças merecem ser conhecidas pelos proprietários de gatos.

Estava navegando na internet e encontrei esse texto direto e simples feito pelo colega veterinário dr Reginaldo Pereira, especialista em medicina felina.

Tão quão importante o diagnóstico das retroviroses felinas(FIV e FeLV), é também o esclarecimento e a conscientização dos proprietários em relação à transmissão,epidemiologia e cuidados com o paciente infectado.As duas enfermidades possuem algumas características semelhantes.São causadas por retrovírus,a FeLV(Leucemia Felina) é por um Retrovírus Gama com vários subtipos e a FIV(Imunodeficiência ou AIDS Felina) é causada por um Lentivírus.Ambos são transmitidos por contato direto,como lambeduras e mordidas,mas também através da amamentação, por via placentária,transfusões sanguíneas e muito dificilmente pelo coito(FIV).São doenças comuns em locais com muitos gatos aglomerados,onde há o contato direto próximo e frequente entre os indivíduos.Ambientes onde há um fluxo de entrada e saída constante de animais também favorecem a proliferação dos vírus.A FIV e a FeLV predispõem aos gatos acometidos várias doenças e quadros mórbidos,diminuindo bastante a espectativa de vida.Ambas podem causar imunodeficiências e surgimento de neoplasias malignas nestes animais.Estes retrovírus destroem as células de defesa do felino,proporcionando infecções secundárias,como distúrbios intestinais,problemas neurológicos,anemias profundas,infecções na pele,micoses,gengivites,periodontites,otites e falência orgânica mais tardiamente.Por interferirem na replicação das células do gato,principalmente o FeLV,predispõem o animal infectado à formação de tumores em qualquer região ou sistema orgânico,principalmente ao surgimento de Linfomas.Geralmente ,a maneira de como o gato infectado irá apresentar a doença dependerá da fase da vida em que acontece a contaminação.Pacientes que se infectam quando filhotes ou jovens tendem a desenvolver a enfermidade de uma forma mais grave ou destrutiva.O diagnóstico precoce é importante,principalmente para impedir a proliferação da doença,mas como também para dar um suporte ao felino acometido.Há exames rápidos para a detecção de animais positivos como o sorológico(ELISA),que é o teste inicial a ser realizado.Quando ou quais gatos deverão ser testados?Gatos recém adquiridos,principalmente vindos da rua,devem ser testados antes de entrarem no ambiente.Filhotes antes da vacinação.Doadores de sangue.Animais que têm acesso à rua.Todo e qualquer felino doente e gatos que tiveram contato com soropositivos.O teste FIV e FeLV é de resultado 100% seguro?Não,nenhum teste é de sensibilidade 100%.Podem ocorrer falsos-positivos e falsos-negativos,por problemas na coleta e pela fase da doença no animal,como por exemplo.É muito importante retestar o animal em casos duvidosos com 30 a 60 dias,e é necessário salientar que NEM TODO ANIMAL POSITIVO ESTÁ DOENTE,alguns casos o felino consegue debelar a infecção,ficando livre da doença.Pode-se lançar mão a outros tipos de exames,conjuntamente com os sorológicos,como os testes de PCR RNA-viral ou DNA-viral(Pró-Vírus),ajudando a identificar animais infectantes e não-infectantes.A prevenção é de fundamental importância.Existe vacina somente contra FeLV aqui no Brasil.Gatos de grupos de riscos devem ser vacinados,como os que vivem semi-domiciliados e de ambientes com vários outros indivíduos.Não recomenda-se vacinar animais que vivem isolados em apartamentos,sem contato com outros gatos,não é necessário nestes casos.A castração precoce pode diminuir o risco de infecção,visto que dificulta o comportamento de risco do indivíduo,em sair e brigar com outros gatos.Deve-se evitar,também,a entrada de novos animais,principalmente não-testados e de origem desconhecida.Em casos positivos,recomenda-se separar o felino doente,evitando que este saia ou entre em contato com outro gato.O tratamento é praticamente de suporte,visto que os anti-virais humanos recomendados são de difícil acesso.Uma excelente alimentação,cuidados higiênicos,profilaxia dentária,vacinação,vermifugação em dia e claro acompanhamento veterinário,são fundamentais.Devido à natureza das duas doenças,um gato com FIV geralmente vive mais do que um com FeLV.Animais com o vírus da Leucemia Felina tendem a desenvolver quadros mais graves precocemente.Finalmente,as duas doenças NÃO ACOMETEM O SER-HUMANO.Inúmeros trabalhos e pesquisas já comprovaram que a AIDS Felina e a Leucemia Felina NÃO é transmitida ao homem. "

Fonte: https://www.petlove.com.br/dicas/fiv-e-felv-o-que-os-proprietarios-devem-saber


Não importa o que digam, gatos devem ser testados para fiv e felv. Essas doenças são transmitidas somente a outros gatos e como debilitam o sistema imunológico do felino, deve ser constantemente monitorada por um veterinário. Qualquer simples gripe pode ser agravada se o gatinho tiver essas doenças. Gatos positivos não devem ser misturados com gatos negativos.

Nosso gatil é todo testado para essas doenças. E toda vez, quando adquirimos um novo membro da família, colocamos esse gatinho em quarentena e fazemos o FIV e Felv nele antes de introduzimos no nosso plantel.


Existem 2 tipos de teste o laboratorial, onde o veterinário colhe o sangue e manda analisar no laboratório e o tipo ELISA (semelhante a um teste de gravidez), onde o veterinário colhe o sangue, mistura com o reagente e coloca a amostra no buraco e espera os "risquinhos" que indicarão se o gatinho é positivo ou negativo. A seguir, temos um laudo de nosso gatil, emitido pelo nosso veterinário, Dr. Fr

ancisco e em seguida o da IDEXX.







95 visualizações
  • ticaaaa
  • 1500744023773
  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon

 (21) 99666-9962

 Nova Iguaçu- RJ

gatildonramiro@gmail.com

  • Facebook ícone social
  • Instagram ícone social